Mude Seus conceitos, Amplie seus Horizontes
VIAGENS ESPECIAIS
Ao juntar mais de 30 anos de grandes viagens e expedições, nas regiões mais belas, selvagens e incríveis deste mundo, e mais de 20 anos de experiência em motivação e desenvolvimento de pessoas, pretendo dar ao viajante uma experiência única e “transformadora”,
seguindo o conceito cada vez mais atual (e necessário) que os americanos chamam de “Life Changing Trips”.

Serão vários tipos de viagens e experiências.



1. INCLUINDO ESPORTES LIGADOS À NATUREZA

Num primeiro momento, pretendo oferecer roteiros, no Brasil e exterior, que incluam viagens agradáveis de mountain bike, canoa, caiaque, além das clássicas caminhadas. Nenhuma delas “radical” (pelo menos por ora). Chapada Diamantina, Veadeiros, Chile, Oeste dos EUA, Canada, Irlanda, Alpes, Nova Zelândia serão algumas das regiões a serem visitadas. Serão roteiros operados por parceiros com sólida experiência nesses tipos de viagens, mas sempre que possível estarei junto com o grupo, interagindo com as pessoas, transmitindo conhecimentos e aprendizados.

2. VIAGEM COACHING

Outro tipo de viagem serão aquelas conhecidas no mercado como “Viagem Coaching”. Entendo esse tipo de viagem como aquela onde procuramos elevar a consciência das pessoas, e estimular seu auto desenvolvimento. Aqui poderemos trabalhar competências comportamentais como liderança, comunicação, inter-relacionamento pessoal, (auto) confiança; e emocionais, como ansiedade, timidez, impulsividade entre outros conceitos.

Entendemos que uma caminhada agreste, um acampamento selvagem ou a ascensão de um pico, entre outros exemplos, devem ser compreendidos como um processo ativo e dinâmico onde o indivíduo necessariamente se envolve com a natureza tanto a nível físico, como emocional e psicológico.

Ao encontrar-se em um ambiente natural incomum, simultaneamente belo e inóspito; ao encontrar-se livre dos artificialismos e confortos da civilização, livre das “muletas” culturais que tanto nos protegem e nos restringem, o indivíduo é impelido a reencontrar sua identidade no que ela tem de mais simples e primário no nível da atitude, e mais profundo no nível da reflexão.

Aí ele deverá caminhar com os próprios pés (ou navegar com a força de seus braços), se direcionar, manter o equilíbrio somático e psicológico, avaliar as intenções do clima (fator incontrolável), optar por prosseguir ou não diante do cansaço e do medo, abrigar-se, expor-se, solicitar a ajuda do outro, ajudar, tomar decisões, confiar e superar.

Esse processo sensibiliza as pessoas, elimina filtros “interpessoais” e quebra paradigmas, ao permitir uma maior abertura ao novo, desencadeando em cada participante uma profunda reflexão sobre sua vida, sua forma de atuação, seus reais limites e o "topo de cada um".

Enfim, essas vivências permitem que a pessoa se reencontre como ser e criatura, tanto no contexto da natureza (o referencial não-humano) quanto no contexto do grupo (referencial humano), para que possa se desenvolver.

Aqui teremos duas possibilidades. Uma, de conduzirmos intervenções apenas no final do dia, processando as reflexões, percepções e aprendizados ocorridos durante as atividades e passeios ocorridos durante o dia. Isto é, vamos curtir os lugares e a natureza durante o dia, e bater um papo direcionado durante a noite.

Outra possibilidade, mais profunda e intensa, vamos propor experiências prazerosas e instigantes (às vezes desafiadoras), individuais e coletivas, com intervenções durante todo o dia. Vamos trabalhar o silêncio, a escuta ativa, a auto suficiência, as relações, as reais motivações, técnicas de meditação, entre outros. Gostaria de incluir também desenho e pintura de aquarelas nessas viagens – com certeza uma maneira diferente de “enxergar” e contemplar uma bela paisagem.

3. EXPEDIÇÕES

Aqui pretendo organizar e guiar – com segurança e relativo conforto - pequenas expedições nas regiões mais remotas deste planeta. Mas nada que exija que o participante seja um super atleta. Mas estaremos por vários dias em lugares remotos – isto é, sem nenhuma estrutura – o que vai exigir de cada um espírito de aventura, entusiasmo e trabalho em equipe.

Para começar, pretendo oferecer roteiros em apenas duas regiões que adoro, bastante distantes entre si. No meio do ano, quero organizar expedições no Alaska, que os americanos chamam de “Ultima Fronteira” – uma região gigantesca e lindíssima, pouco conhecida dos brasileiros, e que oferece paisagens e roteiros para todos os gostos e estilos (e bolsos).

Teremos viagens que vão misturar trechos de trem, pequenos aviões e/ou hidroaviões (para acessar vilas remotas, sobrevoar montanhas nevadas ou pousar em lagos paradisíacos); caminhadas em regiões remotas; observação de animais de grande porte como ursos, lobos, caribous, alces; remadas (e acampamentos) por rios selvagens ou para nos levar a imensas geleiras, e muito mais. Se houver interesse, travessias com esquis durante o inverno, inclusive para avistar a aurora boreal.

Além do Alaska, pretendo levar pequenos grupos para explorar e caminhar na Patagônia, região que visito desde 1981!! Durante o nosso verão, vamos percorrer e desvendar alguns dos cantos mais “secretos” do belíssimo Parque Torres del Paine, do Parque Los Glaciares entre outros.




Por enquanto peço que aguardem mais alguns dias para divulgar os roteiros e montar a estrutura de reservas. Assim que os roteiros estiverem estruturados, as datas marcadas, os valores estipulados, entre outros detalhes, serão devidamente divulgados.